Com a chegada do inverno, nada melhor do que falar sobre as doenças de pele que se destacam nesta estação do ano. Ao contrário do que nós pensamos o inverno é uma época onde a pele é um alvo quase certeiro, principalmente para aqueles que não se cuidam. Este artigo fala sobre as doenças de pele no inverno e alguns cuidados que devemos adotar para evitá-las. Veja como curtir o friozinho gostoso do inverno livre das indesejáveis doenças de pele.

Culturalmente falando, nós já fomos adaptados, durante o verão, a não nos esquecermos de cuidar da pele; isso não quer dizer, no entanto, que no inverno podemos esquecer-nos desses cuidados. O tempo frio também é um grande inimigo da pele e o descuido pode gerar doenças dermatológicas sérias.

Erroneamente boa parte da população brasileira acredita que as doenças de pele se manifestam mais no verão. Grande engano dos que pensam assim. O frio do inverno aliado a banhos quentes e longos, roupas pesadas e diminuição da exposição ao sol, é responsável pelo surgimento ou agravamento de muitas doenças de pele, entre elas, as dermatites de contato e alérgicas, eritema pérnio, o fenômeno de Raynauld, urticária ao frio, dermatite seborréica e psoríase entre outras.

Os banhos quentes (o grande vilão do inverno), o contato com tecidos sintéticos ou lã e o vento, retiram a camada de proteção natural da pele, que fica mais vulnerável. Em contato com produtos irritantes, a pele apresenta alterações, como coceira, descamação, vermelhidão, ardência, dor, inchaço e rachaduras ou fissuras, que caracterizam as dermatites.

Essa camada de gordura, o “manto lipídico”, é essencial para manter a hidratação da pele e ajuda na proteção contra a penetração de bactérias e fungos. Seu enfraquecimento deixa a pele seca e mais sujeita a coceiras e alergias. Além disso, áreas como virilha, axilas e pés ficam vulneráveis a infecções.

Unhas, cabelos e lábios também precisam de atenção. No frio, os lábios ressecam e partem, precisando de hidratação. O cabelo é especialmente maltratado por causa da combinação água quente e secador. As unhas, muitas vezes negligenciadas, enfraquecem com a desidratação e podem quebrar e descamar. Toda vez que você sente sua mão seca, suas unhas também estão secas. Por isso, ao passar um hidratante, não se pode esquecer-se delas. As unhas são também uma importante porta de entrada de infecções.

Se as micoses são os problemas dermatológicos mais comuns do verão, no inverno são outras doenças que se destacam.